Por outro lado, a imagem do plano de fundo foi feita pela Curiosity Mars Science Laboratory em 08 de setembro de 2012 no 33º dia após o pouso na superfície de Marte observando-se o solo marciano como jamais foi visto. E também não é bobagem...
Image credit: NASA/JPL-Caltech/MSSS.

sexta-feira, 20 de março de 2009

O Prontuário Eletrônico do futuro já chegou

Como se não bastasse Google, Microsoft e Yahoo participando intensa e ativamente na área da saúde, disponibilizando uma versão de registro eletrônico de saúde, agora é a vez do gigante Wal-Mart começar a dispor de sistemas integrados de automação para médicos e pequenas clínicas nos EUA. O pacote engloba um computador da Dell, ( ou um tablet PCs, que parece ser preferência de muitos médicos nos Estados Unidos), um software de prontuário eletrônico e serviços de instalação , manutenção e treinamento. A informação é de Steve Lohr do The New York Times publicada na edição de 11 de março de 2009. A pergunta que não foi claramente respondida e é apenas especulada é o porque do interesse de uma rede de varejo no negócio da saúde. A explicação comentada é o interesse da Farmácia do Wal Mart de ter conhecimento e intimidade com as doenças dos seus clientes para poder oferecer de forma agressiva, porém competente, medicamentos e até pequenos equipamentos para controle de glicemia, colesterol, pressão arterial, etc e seus respectivos insumos. Comenta-se também que neste mesmo nicho poderão estar entrando por exemplo a nutricionista, que além da orientação nutricional para cada caso terá a disposição todo o setor de alimentação do Wal Mart e assim por diante, pois o entendimento é que a saúde também está globalizada em todos os sentidos.
Estas informações estão disseminadas nos Estados Unidos, disponíveis na internet para quem quiser consultar tendo ainda soluções que envolvem algum custo aos pacientes, porém já mostrando tendência de se tornar “free” em pouco tempo.
A idéia é aproveitar o pacote do Presidente Obama de estimular o uso do PEP, com base em um incentivo de cerca de 40.000 dólares por clínica. Considerando que a utilização do prontuário eletrônico pelos médicos americanos é muito discutida e controversa, segundo artigo recente do New England Journal of Medicine o Wal Mart pretende oferecer em grande escala a um custo mais baixo (que é sua especialidade) e financiado, todo o pacote, inclusive assistência técnica para hardware e software. O Sam's Club do Wal-Mart tem 200.000 profissionais de saúde entre seus 47 milhões de clientes!
Não tenho a menor dúvida que todas estas soluções apresentadas serão eficientes, competentes, e vão “cair na graça” de todos os usuários, não só pacientes como médicos, dentistas, fisioterapêutas, nutrólogos, etc... da mesma forma que todos nós, uns mais outros menos , acabamos por se acostumar e não conseguir viver sem Office, Google, etc...e além de tudo não terão custo.
Existe uma grande empresa no nosso país, que atua na área de auxílio ao diagnóstico, que está desenvolvendo uma opção de oferecer ao paciente que vai buscar o resultado do seu exame via internet de exportá-lo para o aplicativo Google, MS, etc. Este já entendeu tudo.
Não vai demorar muito para nós médicos começarmos atender pacientes que virão aos nossos consultórios com seu prontuário pronto, montado e talvez até já preenchido por algum outro médico, tendo como único trabalho passar-nos o endereço e a senha. De nada adiantará dizer que temos o nosso prontuário, da nossa clínica ou hospital, que é melhor, mais eficiente, ou qualquer outro argumento, porque ele vai usar Google, Microsoft, Yahoo, Wal Mart , porque ele leva para qualquer lugar do mundo, porque mostra para o profissional que quiser, sob sua inteira responsabilidade, pois o prontuário é dele. Questões difíceis de contra argumentar.
As empresas aqui no Brasil, que desenvolvem, comercializam e implementam soluções de prontuário eletrônico precisam acordar para esta realidade, que é irreversível, e buscar soluções conjuntas, para poderem sobreviver, pois o PEP do futuro já chegou, é do paciente, e destes gigantes que acabamos de nos referir.
Experimente fazer o seu, agora, eles já estão disponíveis, custo zero, eu já fiz o meu.

5 comentários:

por C.A.S.A disse...

As vantagens são realmente interessantes, mas temos que pensar no "lado negro da força".Como as seguradoras médicas utilizarão estas informações?Como fazer, hajam vistas velocidade de disseminação de informação hoje, um dado errôneo plantado num perfil?
A segurança destas informações deve ser enfatizada. Hoje não confio, apesar de ser usuário "hard" neste tipo de vôo dentro da web, pois os profissionais da area mal sabem anexar um email.
Uma boa discussão sobre a segurança, sigilo e acesso a esses dados deve ser iniciada já!
Parabéns pela iniciativa.

Leonardo disse...

Concordo plenamente que as questões de segurança, sigilo e confidencialidade ainda precisam ser melhor discutidas.
Abraço

Leandra (Alum) disse...

Eu ainda não vi nenhum aplicativo brasileiro que dê suporte a alguma dessas linguagens. Se alguém souber de algum, por favor me avise que eu gostaria de postar.
8926@uol.com.br

Leonardo Diamante disse...

Olá Dra,
Existe uma empresa na área de diagnóstcos que está desenvolvendo uma ferramente para "exportar" os seus resultados, inclusive imagens para o Google, se o paciente quiser. No aplicativo RES ou PEP nunca vá nada além de intenções. Acho que não haverá nada alem de uma "ligação" com estas soluções que estamos comentando, pois a idéia é usá-las como estão ou vão estar, como se fosse um Office que todo mundo ou quase todo mundo se adapta. Estou pensando em escrever alguma coisa a respeito, mas ainda estou meio confuso e vou esperar um pouco mais.
Abs
Leonardo

Anunciação disse...

Com C.A.S.A sugeriu,existem muitos pontos a discutir e pensar quanto a ao assunto,inclusive itens do nosso código de ética.Sem falar nos médicos que,como eu,teem pouca intimidade com a tecnologia;não chego a desconhecer como se envia um anexo,mas tem horas que fico "abestalhada";sem contar também que o sistema de saúde público não ajuda para que se evolua.