Por outro lado, a imagem do plano de fundo foi feita pela Curiosity Mars Science Laboratory em 08 de setembro de 2012 no 33º dia após o pouso na superfície de Marte observando-se o solo marciano como jamais foi visto. E também não é bobagem...
Image credit: NASA/JPL-Caltech/MSSS.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Chocolate: verdades, mitos e crendices

O chocolate é resultante da elaboração da fava do cacaueiro, que tem caroço e polpa. A composição do chocolate pode ter cacau, manteiga de cacau, leite, açúcar e outros elementos que podem ser acrescidos como passas, amendoim, avelãs, amêndoas etc.
O cacau contém substâncias chamadas fenóis ou flavonóides, os mesmos antioxidantes encontrados no vinho tinto. Estudos feitos na Universidade da Pensilvânia, mostram que consumidores diários de 30 a 50g de chocolate com alta concentração de cacau (56 a 85%, ou seja, chocolate amargo ou extra amargo) apresentam menores índices no sangue do chamado mau colesterol (fração LDL). No cérebro, o chocolate eleva os níveis de serotonina e feniletilamina melhorando o ânimo e disposição geral. O chocolate é uma boa fonte de energia e com alto nível calórico, dependendo da proporção da manteiga de cacau, açúcar ou leite. Cada 100g pode conter de 350 a 500 calorias e é aí que está o problema.
Algumas das crendices negativas do consumo de chocolate é com relação ao aparecimento de acne, pedras no rim, dores de cabeça, alergias, cárie dentária e tensão pré-menstrual. Estas evidências científicas da relação direta do consumo e esses problemas são fracas.
A cultura popular, com baixa constatação científica, considera o chocolate um afrodisíaco.por estarem geralmente associadas ao simples prazer sensual de seu consumo. Além do mais, a natureza doce e gordurosa do chocolate estimula o hipotálamo, induzindo sensações prazeirosas e elevando o nível de serotonina. Apesar de a serotonina ter efeitos prazeirosos, em excesso pode ser convertida em melatonina, que, por sua vez, reduz a libido. Além disso o chocolate tem substâncias que podem ativar receptores canabinóides, o que causa sensações de sensibilidade e euforia.
Na verdade, hábitos de vida pouco saudáveis como alimentação rica em gordura animal (colesterol), gorduras saturadas e gordura trans, sedentarismo, diabetes, obesidade abdominal, hipertensão arterial, etc. são os mais importantes fatores de risco para as doenças cardiovasculares.
Entretanro não se questiona o valor nutritivo do chocolate, pois contém proteínas, gorduras, cálcio, magnésio, ferro, zinco, caroteno, vitaminas E, B1, B2, B3, B6, B12 e C. ácido gálico, epicatecina, e flavonóides com função cardioprotetora.
O consumo moderado de chocolate hoje é aceitável, e recomendável até 30 g por dia, de preferência preto e amargo compondo uma alimentação balanceada em calorias e nutrientes. Apesar dos benefícios descritos e do sabor muito agradável, ultrapassar os limites acaba por elevar a quantidade diária de calorias. Além disso, não é recomendável trocar as frutas e vegetais de uma refeição pelo chocolate.
Portanto não devemos ir aos extremos da proibição nem da liberação do uso do chocolate, e você pode usufruir de maneira positiva dos benefícios que ele pode lhe trazer, porém, temos que ter em mente que muitas verdades científicas de hoje podem mudar amanhã.
O chocolate é um alimento apreciado, pela imensa maioria das pessoas em todo o mundo, umas mais outras menos, mas todas acabam consumindo o chocolate. Por isto mesmo o chocolate é consumido de todas as formas possíveis e imagináveis como sólido, líquido, pastoso, quente, frio, gelado, com outros doces, com salgados, com frutas, amargo, branco escuro, mesclado, tabletes, barras, gotas, raspas enfim o chocolate vai até onde a imaginação permitir.
O chocolate é um dos "presentes" mais populares em festividades como dia dos Namorados, Natal e aniversários. Na Páscoa, ovos de chocolate são presentes populares e obrigatórios para as crianças.
Por todas estas caracteristicas e simbologias os Correios da França lançaram selos com aroma de chocolate, em mais uma iniciativa para tentar conter a queda no volume de cartas enviadas, em virtude da popularização do e-mail e de outros meios de comunicação na internet.
Segundo a assessoria, essas iniciativas se inserem em um plano de modernização de produtos, com o objetivo de se aproximar mais dos hábitos dos franceses, ao tentar atrair os internautas e permitir a utilização do novo selo com sabor chocolate, vendido em todas as agências dos correios da França, é mais uma estratégia para atrair clientes. Além de enviar uma carta que terá um leve perfume de chocolate, a pessoa que colar o selo também sentirá o sabor do produto.

Os selos lançados, com dez imagens diferentes, retraçam a história do chocolate, a partir das favas de cacau originárias da América Central e da Amazônia à introdução do chocolate na corte do rei Charles V, no século XVI.
As imagens dos selos contam ainda que o chocolate era muito apreciado pelos reis franceses no Palácio de Versalhes e que o produto, durante muito tempo consumido apenas pelas pessoas ricas, se tornou popular no século XXIX, com o surgimento da indústria do chocolate.

3 comentários:

LuPileggi disse...

Tô amando estas boas notícias alimentares. Cafézinho com chocolate todo dia daqui pra frente será fato!

LuPileggi disse...

Tô amando estas boas notícias alimentares. Cafézinho com chocolate todo dia daqui pra frente será fato!

Anunciação disse...

Ah,que maravilha!Bom lembrar;acho que estão me faltando meus trinta gramas diários.